Espumas de Poliuretano

As espumas de poliuretano são um material bicomponente de base mineral ou vegetal, de reação química espontânea. Quando misturado componente A (poliol) com o componente B (isocianato), ocorre uma rápida expansão, aumentando seu volume em até 30 vezes. Devido sua característica de baixa condutibilidade térmica e ótima estabilidade dimensional às variações de temperatura e umidade, a espuma de poliuretano é utilizada em vários segmentos industriais como: câmeras frigorificas, flutuadores (piers), cavernas para barcos, etc.

Suas principais características estão na tabela abaixo:

 

Tempo de Creme 20 a 25 segundo
Tempo de gelificação  140 a 160 segundos
Densidade Livre 27 a 30kg/mt³
Temperatura de Molde(ºC) >35º
Tempo de Moldagem 5 – 15 minutos

 

Os componentes são sensíveis à umidade, portanto devem ser conservados em embalagens hermeticamente fechadas, evitando ao máximo o contato com ar externo.

A absorção de água pelo componente A (poliol) pode conduzir a falhas durante a reação e pelo componente B (isocianato) forma grumos sólidos de uréia e desprendimento do gás carbônico. Estes sedimentos provocarão obstrução na injetora e a produção de gás carbônico provocará pressão interna nos tambores.

Preparação 

O componente B (isocianato) deve ser homogeneizado mediante de agitação mecânica antes de sua utilização sendo que o componente A (poliol) não necessita.

Nenhum dos componentes necessita da incorporação de aditivos para seu processamento, muito embora seja possível adicionar aditivos específicos para alcançar características como auto extinção à chamas, porém com o aval técnico do fabricante.

Validade

Tanto o componente A (poliol) quanto o componente B (isocianato) têm um tempo ideal para uso, dentro do qual conservam suas propriedades físicas e reação entre os dois componentes, conserva suas características próprias, de tempos e densidade e a espuma obtida apresenta todas suas propriedades.

Após este período pode ocorrer uma desestabilização progressiva e uma degradação das características físicas e químicas citadas.

Em condições adequadas de armazenamento, o prazo ideal para consumo é de 3 meses para o componente A (poliol) e de 6 meses para o componente B (isocianato).

As datas de fabricação e validade constam na etiqueta de identificação do produto.